quarta-feira, 9 de abril de 2014

Sonhando O Futuro - Beto Guedes (2004)

Eu vim pelo som, ou vim pelo ar
E mergulhei até encontrar você
Sonhando o futuro

Eu vim pra te ver, pra te acompanhar
Mudar a direção do nosso amor
E acender tudo

Podemos misturar sons, fazendo as canções
Eu nunca imaginei a gente assim,
Tanto amor

Amor para sempre, amar é o que vale
Só não quero mais duvidar de nós
Nem viver só

Você tem o dom de me transportar
Me leva pra bem longe, amor me faz
Qualquer absurdo

Da vida real nem quero saber mais
Eu mergulhei no fundo com você
Dei voltas ao mundo

Agora vamos nós dois ou multiplicar três
Eu nunca imaginei a gente assim,
Tanto amor

Amor para sempre, amar é o que vale
Só não podemos duvidar de nós
Nem vivermos sós

A nossa estrela vai brilhar
Na correnteza te encontrar
E navegar na imensidão

Me leva para onde você for
Faça de mim um sonhador
E estaremos sempre juntos

No som, minha estrela-guia
No céu, nosso dia-a-dia
O amor acendendo tudo
Canção
Pra trazer você
Pra perto de mim

Cláudio Venturini / Lô Borges



Em Algum Lugar - Beto Guedes (2004)

Em algum lugar
Que eu nunca vi
Onde existe um mar
Que eu sonhei
Há de haver alguém
A me esperar
Que nas mãos tem o sol da manhã

Em algum lugar
Que me anoiteceu
Em alguma voz
Que escutei
Sei que existe alguém
Que me faz lembrar
A canção do amor e da paz

Meu coração navegando o azul
Eu sei que vou ver o cais
E nesse lugar e com esse alguém
Haja sol, haja lua, haja mar

Em algum lugar
Que eu nunca vi
Onde existe um mar
Que eu sonhei
Há de haver alguém
A me esperar
Que nas mãos tem o sol da manhã

Meu coração navegando o azul
Eu sei que vou ver o cais
E nesse lugar e com esse alguém
Que mais eu preciso esperar?

Em algum lugar
Que eu nunca vi
Onde existe um mar
Que eu sonhei
Há de haver alguém
A me esperar
Que nas mãos tem o sol da manhã

Meu coração navegando o azul
Eu sei que vou ver o cais
E nesse lugar e com esse alguém
Haja sol, haja lua, haja mar

Em algum lugar
Que me anoiteceu
Em alguma voz
Que escutei
Sei que existe alguém
Que me faz lembrar
A canção do amor e da paz

Meu coração navegando o azul
Eu sei que vou ver o cais
E nesse lugar e com esse alguém
Haja sol, haja lua, haja mar

Com céu azul e o vento a soprar
Meu rumo vou encontrar
E nesse lugar e com esse alguém
Haja céu, haja lua, haja mar

Meu coração navegando o azul
Eu sei que vou ver o cais
E nesse lugar e com esse alguém
Haja sol, haja lua, haja mar...

Frederick Rousseau / Vrs. Fernando Brant




2004 - Em Algum Lugar

Cabelo Pixaim - Francis Hime (1980)

Namorei uma morena do cabelo pixaim
Que fingiu que me amava e depois zombou de mim
Tinha os olhos de turquesa e a boca de carmim
O calor da natureza, coração de trampolim.

Me fazia sua presa numa torre de marfim
Leviana com certeza, japonesa de Pequim
Me deixou desconsolado, quase-quase, assim-assim
Sentimento injuriado, sem um sonho, sem um fim.

Namorei uma morena do cabelo pixaim
Que fingiu que me amava e depois zombou de mim
Tinha os olhos de turquesa e a boca de carmim
O calor da natureza, coração de trampolim.

Me fazia sua presa numa torre de marfim
Leviana com certeza, japonesa de Pequim
Me deixou desconsolado, quase-quase, assim-assim
Sentimento injuriado, sem um sonho, sem um fim.

Namorei uma morena, japonesa de Pequim
Que fingiu que me amava numa torre de marfim
Tinha os olhos de turquesa, quase-quase, assim-assim
Leviana com certeza, coração de trampolim

Me fazia sua presa, sem um sonho, sem um fim
Sentimento injuriado e depois zombou de mim
Me deixou desconsolado, japonesa de Pequim...

Francis Hime / Cacaso




1980 - Francis

E Se - Francis Hime (1980)

E se o oceano incendiar
E se cair neve no sertão
E se o urubu cocorocar
E se o Botafogo for campeão
E se o meu dinheiro não faltar
E se o delegado for gentil
E se tiver bife no jantar
E se o carnaval cair em abril
E se o telefone funcionar
E se o pantanal virar pirão
E se o Pão-de-Açúcar desmanchar
E se tiver sopa pro peão
E se o oceano incendiar
E se o Arapiraca for campeão
E se à meia-noite o sol raiar
E se o meu país for um jardim
E se eu convidá-la para dançar
E se ela ficar assim, assim
E se eu lhe entregar meu coração
E meu coração for um quindim
E se o meu amor gostar então de mim

Francis Hime / Chico Buarque




1980 - Francis

Marina Morena - Francis Hime (1980)

Meia volta, volta e meia
Ciranda de areia
Volteio dobrado

Meu canto mexe um tempero
De amor feiticeiro
De corpo fechado,

Cego,
Solto,
Salvo,
Só...

Passei a semana pensando em você
Sofrendo por tudo querendo você
Lembrando mentiras bonitas para te dizer

Marina morena você não pintou
Me vira o seu rosto me faça o favor
Me salva do abismo, do abismo de me perder

No vento da maré cheia
Meu canto ponteia
Na noite calada

Fogueira que me clareia
E o fogo incendeia
De chama cerrada,

Leve,
Lenta,
Branca,
Só...

Passei a semana pensando em você
Sofrendo por tudo querendo você
Lembrando mentiras bonitas para te dizer

Marina morena você não pintou
Me vira o seu rosto me faça o favor
Me salva do abismo, do abismo de me perder

Quando ressoa o pandeiro
Festim cativeiro
Cantiga rimada

Meu sangue dança na veia
Canção de sereia
De alma penada,

Vaga,
Magra,
Livre,
Vaga,
Magra,
Livre,
Vaga,
Magra,
Livre,
Vaga,
Magra,
Livre...

Francis Hime / Cacaso




1980 - Francis

O Rei de Ramos - Francis Hime (1980)

Ele disse pra escola caprichar
No desfile da noite de domingo
Com ginga, com fé

Pediu muita cadeira a requebrar
Minha boca com dente pra caramba
E samba no pé

De repente o pandeiro atravessou
De repente a cuíca emudeceu
De repente o passista tropeçou
E a cabrocha gritou que o nosso rei morreu

Viva o Rei de Ramos
Que nós veneramos
Que nós não cansamos de cantar

Viva o rei dos pobres
Que gastava os cobres
Nas causas mais nobres do lugar

Viva o rei dos prontos
Que bancava os pontos
Que pagava os contos do milhar

Viva o Rei de Ramos
Viva o Rei, viva o Rei
Viva o Rei de Ramos

Os seus desafetos e rivais
Misericordioso, não matava
Mandava matar

E financiava os funerais
As pobres viúvas consolava
Chegava a chorar

De repente gelou o carnaval
De repente o subúrbio estremeceu
E a manchete sangrenta do jornal
Estampou garrafal que o nosso rei morreu

Viva o Rei de Ramos
Que nós veneramos
Que nós não cansamos de cantar

Viva o rei dos crentes
E dos penitentes
E dos delinquentes do lugar

Viva o rei da morte
Da lei do mais forte
Do jogo, da sorte e do azar

Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei
Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei
Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei
Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei
Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei
Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei
Viva o Rei de Ramos
Viva o rei, viva o rei...

Dias Gomes / Francis Hime / Chico Buarque



1980 - Francis

segunda-feira, 3 de março de 2014

Vivo Sonhando - Leny Andrade (1963)

Vivo sonhando, sonhando
Mil horas sem fim
Tempo em que vou perguntando,
Se gostas de mim

Tempo de falar em estrelas,
Falar de um mar, de um céu assim
Falar do bem que se tem
Mas você não vem, não vem

Você não vindo, não vindo
A vida tem fim
Gente que passa se rindo
Zombando de mim

E eu a falar em estrelas,
Mar, amor, luar
Pobre de mim
Que só sei te amar...

E você não vindo, não vindo
A vida tem fim
Gente que passa se rindo
Zombando de mim

E eu a falar em estrelas,
Mar, amor, luar
Pobre de mim
Que só sei te amar...

Pobre de mim
Que só sei te amar...

Vivo sonhando...
Vivo sonhando...
Vivo sonhando...

Tom Jobim



1963 - A Arte Maior de Leny Andrade